Pesquisar este blog

15 de novembro de 2011

Momentos inesquecíveis com Miguel Augusto


Ontem publiquei os momentos mais marcantes da minha gestação. 
Hoje quero compartilhar alguns momentos muito especiais com meu filho nesses últimos 4 meses. 
Momentos que me enchem de alegria, me fazem transbordar de felicidade e até me fazem chorar por ter esse presente abençoado em minha vida.
São eles:

__ O toque dos meus lábios em sua face e o seu cheiro quando o trouxeram para mim logo após seu nascimento.

__ A primeira vez que o peguei no colo, que olhei em seus olhos, que pude senti-lo inteiramente protegido em meus braços.

__ A primeira vez que o amamentei. Minha amiga Cris diz que essa é a melhor parte de ser mãe. E definitivamente realmente é divino, único e um momento cheio de cumplicidade e amor.

__ A primeira vez que o pai o pegou. Todos sempre ficam receosos quando a pegar o bebê, mas ele não, espontaneamente o pegou já no primeiro dia e o segurou com cuidado e como um verdadeiro pai.

__ A ajuda da minha mãe Aparecida. A presença dela foi fundamental nos primeiros dias. Sem contar o quanto ela estava orgulhosa pelo meu filho.

Procuro nas palavras uma forma de expressar tamanha felicidade!


A cada novo dia sou mais apaixonada!

Apaixonada pela vida e por você Miguel Augusto!
Anjo que se fez criança!
Criança que faz o meu viver!
A cada novo dia sou uma mulher nova, por você quero ser melhor!
Prometo que serei a melhor mãe que eu puder ser, até mesmo quando errar tentando acertar.
E espero firmemente que você possa encontrar no seio de sua família:
O abrigo em nossos braços para as horas incertas.
A confiança para seguir sempre em frente.
A alegria de saber que a vida vale a pena e que Deus sempre está do nosso lado.
E a certeza de que te amamos muito do jeitinho que você é. 
Meu filho é o que de mais perfeito e puro que já fiz na vida. 
Obrigada por ter me escolhido Miguel Augusto!


Namastê!


Meu maior milagre
Compartilhando -2ª Parte

Bom, todos já estão cansados das minhas desculpas pela falta de notícias e principalmente, pela segunda parte do texto Meu maior milagre (risos). Muitos já me cobraram. Vida de mãe não é fácil, ainda estou conciliando (risos). Então, como prometi segue a outra parte dos momentos mais marcantes da minha gestação. Quando escrevi o primeiro texto publiquei no dia 24 de junho e no dia 25 já comecei a passar mal. Não entrei em trabalho de parto. Só fui entrar no dia 27 e por isso, não deu tempo de escrever o restante.

Resumidamente vou apontar por trimestre o que vivenciei e que ficará para sempre:

2º  Trimestre  (do terceiro ao sexto mês)

__ O apoio de dona Bia, minha sogra, sempre do meu lado. Principalmente quando eu tinha que correr para o médico.

__ Meu primeiro aniversário como mãe. Passe com minha família que me presenteou com um chá-de-bebê maravilhoso. O paparico foi enorme. Minha família é tudo na minha vida. São aqueles que Deus escolheu para estar ao meu lado. E eu os amo de todo o meu coração. 



__ Os movimentos do meu pequeno começaram a ficar mais constantes. A cada consulta novas informações. Ouvir o seu coração bater era o melhor som que eu já pude ouvir. Estonteante!

3º trimestre (do sexto ao nono mês)

__ Meu primeiro dia das mães como mãe. Que sensação maravilhosa poder sentir a vida crescer dentro de mim. Emocionante!

__ O chá-de-bebê para os amigos e familiares de São Paulo foi excepcional. Quanta gente compareceu. Como pudemos perceber que somos queridos. Só tenho a agradecer a Deus e a todos pelo carinho.

__ Os movimentos: Como esse menino me chutava (risos), muitas vezes era incômodo, mas quando ele não mexia eu ficava louca. Sentir meu filho em meu ventre foi a melhor sensação que já tive em toda a minha vida.



__ A fome aumentava cada vez mais e a barriga também. Fiquei com um barrigão enorme, mas lindo, sempre elogiavam. E eu ficava toda orgulhosa.

__ Os desejos: de comer pretzels, de comer o “macarrão do velório” (essa é uma longa história que conto em outra oportunidade), de comer a farofa especial da minha mãe Aparecida (hum que delícia), de tomar assaí, de comer a comida da Dona Maria e do Seu Juarez e outras coisinhas mais...(risos).


Na reta final:


As ligações do meu pai, meu irmão, minha irmã, meus primos e minha tia, de meus amigos todos preocupados e ansiosos pela chegada do Miguel Augusto sempre foram como um bálsamo que alimentava ainda mais a certeza de que meu filho já era muito esperado e amado.
O trabalho de parto começou no dia 27. Foram 4 dias de idas e vindas ao hospital. Sempre me mandavam de volta pra casa. Até que descobriram que meu bebê havia feito cocô no útero e eu ainda estava com apenas 3 dedos de dilatação. O desespero foi grande. Não podia o parto normal que era o que eu havia escolhido. Já tinha contrações de 5 em 5 minutos e nada das dilatações. Meu marido estava comigo e confesso que fiquei um tanto quanto apreensiva, pois, ele é um pouco impaciente. Quando me disseram que seria cesariana, não teve jeito, fiquei desolada. Pelo medo da cirurgia, com a preocupação com o meu filho que já havia feito o que não podia. Fui pra sala de cirurgia, me anestesiaram e chamaram meu marido que ficou sentado ao meu lado. E a todo o momento ele me acalmava e em nenhum momento eu senti desespero, medo ou impaciência em seu semblante. Foi um pouco difícil tirar o Miguel Augusto que veio ao mundo no dia 01 de julho às 3h30 da manhã. O seu choro foi o melhor som que já ouvi. Naquele momento não era somente ele que chorava, meu marido e eu chorávamos como bobos de alegria, de apreensão para termos notícia dele, de felicidade. Quando o meu marido pode vê-lo a todo o momento vinha me dizer as características dele. Que emoção!!!


Hoje, Miguel Augusto está com 4 meses, pesando quase 10 quilos e medindo 71 centímetros. Muito saudável e alegre. Meu presente divino. Meu maior milagre.
À todos que partilharam esses momentos comigo, que se preocuparam, que oraram por mim, que me deram apoio e carinho, o meu muito obrigado. À todos vocês, o meu respeito, a minha admiração e o meu carinho!
Obrigada por me permitir compartilhar esses momentos tão especiais!



Namastê!